“A Prática da Meditação”
Swami Ritajananda
2ª edição revisada

Formato: 14 x 21cm, 144 pgs — brochura costurada
Preço: R$30,00 ISBN: 8587546155
EAN 9788587546159
À venda nas melhores livrarias

“Para Swami Ritajananda, o objetivo da religião é produzir uma mudança no indivíduo que a pratica: uma mudança em seu caráter, uma mudança em suas reações habituais, uma mudança fundamental no seu próprio modo de pensar. Uma pessoa verdadeiramente espiritual é alguém que aprendeu a viver em paz consigo mesmo, vive em paz com os outros e enfrenta com competência os caprichos do mundo, no qual todos os seres humanos são forçados a viver todos os dias. O Swami não se impressionava com aqueles que afirmavam ter experiências místicas ou emoções celestes quando elas não eram acompanhadas de uma melhora correspondente na sua maneira de viver. Perguntava sempre: — Você se tornou uma pessoa melhor?
    De fato, a prática espiritual, se for adequada, deve transformar o indivíduo numa espécie de sábio. O meio para atingir esse estado é a meditação, praticada com regularidade inflexível.

Swami Vidyatmananda, Gretz, França

Excertos

O que é meditação
    “Na Índia a palavra meditação não tem o mesmo significado que no Ocidente. Os hindus usam uma palavra equivalente, pois não existe outra com a mesma acepção. A expressão mais usada por eles é dhyana, ou nidihyasana ou, ainda, upasana …     Existe um meio eficaz de purificar a mente dos diferentes tipos de pensamentos que é a introspeção e a auto-análise. A prática intensa dessas duas técnicas torna possível eliminar as más tendências da atividade mental. Inicialmente isso é muito difícil, pois somos incapazes de julgar a nós mesmos com imparcialidade e de reconhecer e aceitar nossos próprios defeitos.”

Mantra
    “Todas as Escrituras Sagradas da Índia consideram o mantra um meio eficaz de atingir o Supremo. É o que os Vedas e Upanishads ensinam desde os tempos mais remotos. Dizem que quando se pratica essa disciplina, o próprio Senhor vem em socorro de seu devoto. Nesse caso, a purificação interior é inteiramente realizada pelo japa. Essa prática pode chegar, até mesmo, a eliminar completamente o gosto pelas experiências mundanas. Pouco a pouco, manifesta-se uma transformação total da natureza do devoto. Sri Ramakrishna disse um dia: — Quando um rei quer visitar a casa de um súdito, envia primeiro os móveis e a louça. O súdito pode, então recebê-lo dignamente.
    O mesmo ocorre em relação ao devoto. As qualidades divinas manifestam-se nele.”


Diferentes caminhos

   “Sri Ramakrishna disse que na época atual não existe um caminho único para todos. Cada um de nós é diferente, possui uma natureza particular e necessita seguir um caminho adquado a essa natureza. É por esta razão que existem tantos caminhos diferentes. Não se deve forçar todo mundo a seguir o mesmo caminho. Contrariar a natureza de alguém seria causar-lhe grande mal. Uma pessoa muito emotiva, que sente atração pelo caminho do amor e da devoção, não está interessada num livro de jnana yoga que trata da Realidade suprema, ou de nossa verdadeira natureza. Para ela é suficiente orar e meditar em Deus, seu bem-amado. Essa variedade de caminhos é, portanto, uma necessidade absoluta. Para o Bhagavad Gita, cada caminho é uma yoga.”


Veja também, da Ordem Ramakrishna, fundada por Sri Ramakrishna e Swami Vivekananda: (clique nas capinhas para saber mais)

Quem foi Swami Ritajananda

“Swami Ritajananda nasceu em nove de dezembro de 1906 em Mylapore, Madras. Filho de uma família de brâmanes ortodoxos do sul da Índia, seus ancestrais foram sacerdotes. Aos doze anos perdeu a mãe e foi viver na casa do avô, um homem tão rigoroso na observância da disciplina que despertou no menino o desejo de ser extremamente tolerante com os outros…
Formou-se em matemática pela Universidade de Andhara, onde fez amizade com monges do Sri Ramakrishna Math de Mylapore … Em 1931, com a idade de vinte e cinco anos, chegou a Belur Math para ingressar na Ordem Ramakrishna. Recebeu iniciação — diksha — do então Presidente, Swami Shivananda, discípulo direto de Sri Ramakrishna. Pronunciou os votos de bramacharya em 1936, sob a direção de Swami Akhandananda, outro discípulo direto de Sri Ramakrishna, e os de sanyasa em 1940, sob a direção de Swami Virajananda, discípulo de Swami Vivekananda… Em 1954 foi para Nova York e depois foi transferido para a Vedanta Society do sul da Califórnia, em Hollywood…
O Swami revelara uma personalidade radiosa e tolerante. As pessoas sentiam que podiam falar com ele sobre qualquer assunto, sendo ouvidas com interesse.
Ele não julgava nem condenava e guardava para si as confidências que lhe eram feitas… Sentia um interesse especial por pessoas com problemas de adaptação: os abandonados, os que não tinham amigos e os desajustados. Dessa forma, seus problemas de juventude o haviam tornado capaz de compreender os outros e demonstrar solidariedade para com eles. A qualidade de não criticar, fortemente estabelecida nele, fazia parte de sua personalidade. Quando alguém cometia uma tolice evidente, ou uma ação claramente ruim, Swami Ritajananda ponderava:
— Mas ele é assim, é a sua natureza. O que pode fazer? — Depois, geralmente acrescentava:
— Mas com certeza mudará.
A conclusão final dos poucos julgamentos negativos que ouvi o Swami proferir sobre certos indivíduos era a seguinte: — Sofrerá pelos seus atos e isso o forçará a mudar.
Não julgava as pessoas pelas fraquezas que tivessem demonstrado num dado momento e não as considerava más, apenas imaturas. Acreditava no êxito espiritual futuro de todos com quem se relacionava. Foi essa confiança que depositava nas pessoas que reuniu tanta gente a seu redor…
Em 1961, Swami Ritajananda foi nomeado Presidente do Centre Védantique Ramakrishna em Gretz, na França. Swami Ritajananda encarou com modéstia sua ascensão a Chefe de Centro. Com o tempo, adquiriu a reputação de ser uma pessoa esclarecida, um sábio a quem se poderia pedir conselhos sobre a conduta a ser adotada, tanto no plano humano quanto no divino. O Swami passou a ser objeto de uma grande veneração por parte de todos. Jamais aceitou essa reverência e a transferia sempre para Sri Ramakrishna.”

Excertos do texto publicado neste livro sob o título: “Swami Ritajananda como eu o conheci”, escrito por Swami Vidyatmananda, nome monástico adotado por John Yale ao tornar-se monge da Ordem Ramakrishna. Foi ele que organizou o livro “O que é religião”, de Swami Vivekananda.

Swami Ritajananda viajou muito por vários países e fez muitos discípulos, inclusive no Brasil, país que visitou várias vezes. Ele gostava muito dos brasileiros.

O que é religião”
Swami Vivekananda
Sárada Devi — Santa Mãe
Swami Pavitrananda
Meditação — A mente e a yoga de Patânjali
Swami Bhaskarananda
“CD Árati”
Gravação história de monges da ordem Ramakrishna na Índia com o violão brasileiro de Tomaz Lima
Visite www.vedantarj.org.br
Página inicial | Livros | Tomaz Lima, Homem de Bem | CDs


©
Lótus do Saber Editora & TLL Gravadora — Todos os direitos reservados
Tel & Fax 0 ** 21 2644-5286 — Teresópolis, RJ

Envie o seu e-mail para participar do mailing da Lótus do Saber e da TLL Gravadora. Receba informações sobre as novidades e ofertas
Voltar