Tomaz Lima

Ele não tinha diploma, nem carteira de identidade, nem pertencia a uma família importante.
     Nasceu num estábulo e seu berço foi uma manjedoura. Suas credenciais eram o amor, a compaixão e a vontade de servir ao próximo.
     Sua luz brilha há dois mil anos e seu exemplo de vida continua a inspirar milhões de pessoas de todas as religiões.
     Minha humilde oração é que neste Natal possamos receber em nossos corações as bênçãos de Deus e de seu bem-amado filho, Jesus de Nazaré, em forma de consolo, esperança e força.
     Minha família e eu desejamos a todos Feliz Natal!


Frei Patrício Sciadini, ocd.

Ninguém conseguirá profanar totalmente o Natal. É uma festa que nasceu no coração da Igreja e da comunidade e permanecerá para sempre como sinal da paz.
     O mundo pode atrever-se e tentar comercializar o Natal, mas o símbolo religioso deste acontecimento não poderá ser destruído e nem anulado. Haverá sempre necessidade de representar anjos que cantam nos céus “glória a Deus no mais alto dos céus e paz na terra aos homens de boa vontade!” Os presépios poderão até ser fabricados e vendidos por ateus, mas não poderá ser anulado e desligado da mentalidade religiosa e representativa do nascimento de Jesus.
     Além de ser um grande evangelizador Francisco de Assis, quando reproduziu em Greccio o mistério do Natal ao vivo, foi um grande artista, de uma sensibilidade religiosa e humana que poucas pessoas possuem.
     Viver os ideais mais íntimos do coração humano de paz, unidade e felicidade é todo o conteúdo do evangelho, que é boa nova. Quem lê o evangelho independentemente da crença e sem preconceitos, percebe que não há livro mais positivo e otimista do que a palavra deixada por Jesus e transmitida a nós pelos evangelistas que, depois de séculos, continuam com a mesma força sedutora e convincente. Para quem vive o evangelho e acredita em Jesus Cristo não tem espaço para o pessimismo, para o ódio e para o mal. O bem será vencedor...

Excerto da mensagem de Natal escrita por Frei Patrício, que selecionou para a Lótus do Saber, a editora de Tomaz Lima, os trechos do livro “O Verdadeiro Amor”, de São João da Cruz, e pediu que o Tomaz gravasse o CD “Viver de Amor”, com orações dos santos do Carmelo.


Swami Vivekananda

Jesus Cristo foi Deus — o Deus pessoal tornou-se homem. Deus manifestou-se muitas vezes sob diferentes formas e só a elas é possível render culto.
Deus em sua natureza absoluta não deve ser adorado. Venerar tal Deus seria um contra–senso.Temos de venerar Jesus Cristo, a manifestação humana, como Deus.
     Não se pode adorar nada mais elevado do que a manifestação de Deus. Quanto antes você desistir de cultuar Deus separado de Cristo, melhor... Ao tentar criar um Deus que transcenda Cristo você põe tudo a perder. Só Deus pode cultuar Deus.
     Fique perto de Cristo se quiser a salvação. Ele é superior a qualquer Deus nascido de sua imaginação.Se você pensa que Cristo foi homem, não o reverencie. Mas tão logo realize que ele é Deus, adore-o. Aqueles que dizem que Cristo foi homem e lhe rendem culto cometem blasfêmia. “Quem me viu (o Filho) viu o Pai.” Sem ver o Filho, você não pode ver o Pai.

Excerto do livro "O que é religião”, capítulo “Grandes Mestres do Mundo”


1. Pinheirinho de Natal

2. Noite Feliz

3. Sino de Belém

4. É Natal

. Glória, Glória Aleluia
e When the Saints Go Marching In


6. Hava Naguila

7. Hey Bhagavan

8. Maha Mantra

9. Om Ma Guru Buda Sidi Hum

10. Allahur Akbar
Clique nas capas dos livros e do CD para ler mais e ouvir trechos das músicas. Não deixe de conhecer "Zia, o Cordundinha", a comovente história do primeiro milagre do menino Jesus.

TLL Gravadora Ltda

Tel & Fax: 21 2644-5286

info@homemdebem.com